01/02/2021 às 11h18min - Atualizada em 01/02/2021 às 11h18min

​Bacalhau e suas Harmonizações

Nilson Cesar
- Papo Sabor

A todo instante vem a questão de que vinho harmonizar com tal prato e aí é aquilo: milhões de bocas e narizes, cada qual com sua capacidade de percepção somadas a experiência; ou a não experiência, perante o universo gastronômico e do vinho sempre em constante mutação, ainda bem.

O que nos  resta: Provar e descobri!

Para falar em harmonizações de Bacalhau com vinho deveríamos citar um sem número de pratos onde o generoso peixe vem nadar: As natas, a Gomes de Sá, grelhado, afogado no Azeite, cozido com legumes, enfim, é peixe que não acaba mais e um infinito mundo de possibilidades.

Bacalhau e sal são quase indissociáveis e, além do iodo, do alto índice proteico (maior que a carne) tem pouca gordura o que já complica muito a comparação do mesmo com outros peixes e suas harmonizações, aqui não.

Tintos mais vivos e Tânicos são comumente espancados criando um cenário de destruição e caos gustativo: mas tem quem goste, assim como tem quem assista a um Big Brother, goste de dobradinha e Pizza com Ketchup (eu amo).

Mas voltando aos vinhos tintos, se forem os escolhidos, não deveriam ser um Pinot Noir ou um Beaujolais e nem um Rufete, pois serão um tanto ofuscados, endurecidos e emagrecidos pela força do sabor do dito cujo Norueguês. Já um tinto tânico ficará com sabor metalizado, aguado, enfim. Se for tinto deverá ser um mais maduro, frutado, com menor acidez e um pouco mais de açúcar, não confunda com vinho doce pois não conheço sobremesa elaborada com Bacalhau.  Fácil entender. 

Provei com vinhos da Uva Castelão que das Regiões de Setúbal e Palmela, em Portugal, por lá produzem maravilhas com preços acessíveis, e, gostei muito. Alguns Syrah, maduros e de baixa acidez, de clima quente, também fazem bom par. Touriga Nacional também, no mesmo estilo, mais opulento e menos tânico.

Se tratando de Brancos, preferência de muitos e os mais indicados, se destacam não aqueles minerais, crespos e crocantes, mas sim os mais gordos, untuosos e frutados, tipo alguns Chardonnay de menor tensão e divertidos de anos atrás, mas que ainda estão presentes, ou brancos da uva Viognier; densos e cremosos, outros tantos do Alentejo e novamente Setúbal e arredores. Lugares de clima quente normalmente oferecem menos acidez e fruta mais madura.

E não podemos esquecer dos Roses, que oferecem uma infinidade de boas opções para a brincadeira, no mesmo perfil dos anteriores devemos deixar de lado a refrescância e a acidez e buscar a untuosidade. E tem.

Acima de tudo a experiência é que faz o gosto. Prove e comprove!

 Dicas de nosso colunista para você fazer boa presença com o Peixão:

- Fazenda Velha, Ermelinda Freitas, Setúbal, Portugal. R$ 59,90
- Junta Momentos Reserva Syrah 2017 Vale do Curicó, Chile. R$ 59,90
- Vinhas da Comporta 2016, Setúbal, Portugal.  R$ 89,90
- Vinhas do Sado Branco 2018, Setúbal, Portugal.  R$ 59,90
- Vidigueira “A Saudade” 2016, Alentejo, Portugal. R$ 79,90
- Verbo Rosato 2019, Basilicata, Itália. R$ 114,90
 

Peça já no @armazemconceição 
(48) 3238-4100

Selecionadores de vinhos e sabores, na Lagoa, em Florianópolis- SC.

Por: Nilson Cesar. 

 
Link
Leia Também »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://paposabor.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp