02/05/2021 às 19h43min - Atualizada em 02/05/2021 às 19h43min

A Pinot Noir ou o que quer que seja...

O Vinho tem algo intrínseco, tão parte dele quanto o sabor e a cor que é a sua história através da história, através do passar dos tempos.

Nilson Cesar - Papo Sabor
Salto alto, pontuação e preço, mi mi mi e blá blá blá são fatores mais ligados ao mercado, a maneira de de inserir frente ao consumidor  do que ao vinho em si, portanto, em essencia, dispensáveis no que se trata do precioso líquido. Provar é a regra fundamental.

Falando na uva Pinot Noir, um fato histórico tranformou a posição mundial desta uva   que até hoje ocupa as mais elevadas esferas do universo
enogastronomico, este fato foi a decisão do Duque de Borgonha, Felipe  o Bravo,  em 31 de julho de 1395  de ordenar a remoção de todos os vinhedos da uva Gamay do território sob seu controle.  

A medida segundo alguns historiadores era para melhorar a qualidade dos vinhos da região visando maior participação no mercado e maior arrecadação.  

A Gamay tem maior produtividade que a Pinot Noir e é colhida semanas antes com menor risco para a colheita, e o efeito desta e de outras medidas tomadas na data, como também a de proibir o uso de fertilizantes (orgânicos) acabaram sendo uma espadada no pé, causando muitos problemas e perdas ainda mais com a peste negra devastando tudo por lá.

Mas eis que o que foi ruim num tempo acabou por colocar a França e os vinhos da Borgonha num patamar elevadísssimo, onde mesmo um Borgonha meia boca, de safra ruim é caro, muitas vezes comprado pelo status conferido ao comprador do que pelo líquido que a garrafa carrega.

Entre histórias e mais histórias, os vinhos e suas regiões de origem com suas uvas específicas, foram se consagrando mundo afora e entre tantas a Pinot Noir dá o que falar e, melhor, o que beber.

Uva de casca fina e sensível é muito caprichosa exigindo muito atenção na lida pelas mãos dos vitivinicultores. Prefere locais com climas mais amenos e frescos, onde se adpata com mais facilidade e, em cada local, exprime perfis gustativos e aromáticos representativos do lugar.

Tem um bando que fica falando que “um bom Pinot só da Borgonha” o que é muita toliçe, pois cada um bebe pela sua boca e cheira pelo seu nariz cabendo a cada um decidir por suas experiências aquilo que é bom para si mesmo, sem ter de ser uma Maria da Uva que Vai com As Outras. Novamente prove o que caber no seu orçamento e vá descobrindo.

A Pinot Noir também é muito utilizada para a elaboração de vinhos espumantes tendo na Região da Champanhe na França uma posição de muito destaque onde verdadeiras naves nos levam longe em sensações memoráveis,  mas não só lá; aqui no Brasil temos verdadeiras obras de arte em borbulhas onde ela tem uma alta posição. 
  
Temos ótimos vinhos e espumantes desta uva por todo lado; aqui no Brasil, no Chile e na Argentina, especialmente na região da Patagônia, na Nova Zelandia onde nos brinda com vinhos fantásticos, no Eua nos estados do Oregon, de Whashington, eem algumas áreas da Califórnia,  na Bulgária, na Alemanhã, na Alsacia, no Norte da Itália, na Suiça,. Enfim. Prove pois a fila é grande.

Os vinhos vão muito bem com alguns pratos de frutos do mar, carnes magras, um bom Confit de Pato, enfim, prove e descubra, desde aquele de entrada 30 pilas até os mais mais de muito preço acima. Realmente vale mergulhar em seu mar.

Aqui no Armazém Conceição você encontra um mundo de  diversidade de Pinot Noir em Vinhos e espumantes de tudo quanto é lado.

Nilson Cesar
@Armazemconceicao

 
Link
Tags »
Leia Também »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://paposabor.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp