02/06/2022 às 11h23min - Atualizada em 02/06/2022 às 11h23min

El Bando de la huerta - Sagrados e Profanos

Lutero Barbará

Lutero Barbará

Diretamente de Barcelona - Espanha.

Lutero Barbará - Papo Sabor
Na Espanha existe uma mescla entre o sagrado e o profano que é admirável. Seu povo é hedonista e - ao mesmo tempo – é devoto fervoroso do milenar catolicismo. Essa simbiose entre céu e terra acaba gerando no espírito espanhol uma predisposição para as festividades, sejam estas pagãs ou religiosas.

Se você acha que o brasileiro é festeiro...experimenta vir para cá! É verdade que nós temos o Carnaval como identidade nacional, no entanto eles além de possuírem todos os santos do catolicismo ainda celebram as festas da sua rua, do seu bairro, da cidade e da região. É tanta festa que as vezes da vontade de dar uma passadinha na missa para expiar os pecados de cama e mesa.
 
Logo após presenciar e sair tocado pelas celebrações da semana santa em Elche fui bisbilhotar a vizinha cidade de Murcia, capital da  região de mesmo nome.
“El Bando de la Huerta” é a festa maior da cidade e está dentro do calendário “Festas da primavera”, que se celebra na terça-feira após a semana santa.

“El Bando de la Huerta”, para um bom entendedor brasileiro, significaria algo assim como “O bloco da horta”, pois a festa tem origem no carnaval murciano de 1851. Neste ano alguns jovens burgueses e urbanos tiveram a ideia de sacanear os trabalhadores rurais e fundaram um bloco/bando que imitava os trajes típicos rurais e o sotaque do pessoal do campo. O que a rapaziada do bloco não sabia é que a fama dos  produtos da região vinha de outros carnavais.

Foto:divulgação - El bando de la huerta internacional

Foto:divulgação - El bando de la huerta 


Na antiguidade as frutas, verduras, cítricos e hortaliças da zona já saiam do porto de Cartagena para a apreciação do paladar exigente de imperadores romanos. Sendo assim e  por ironia do destino o que era sacanagem virou homenagem e hoje em dia não só a festa é reconhecida como de interesse turístico internacional, como a região de Murcia é denominada “A Horta da Europa.” Ali tudo que se planta dá, um pouco pelo clima privilegiado mas também pela dedicação dos trabalhadores do setor primário...aqueles mesmo que a galera do bando zoava.

A frescura e a qualidade dos produtos da região acabam resultando numa gastronomia rica e variada. O Chef Pablo Sánchez Conejero, do estrelado restaurante Cabaña Buenavista, não poupa elogio aos produtos de sua terra. E de forma poética exalta orgulhoso o valor da horta de Murcia; “Uma de nossas principais riquezas é a horta. Uma horta um pouco adormecida e desejosa de ser descoberta. Uma horta trabalhada por mãos laboriosas, mãos calejadas e rostos queimados pelo sol. Horta rica e próspera com este elemento que nos faz diferentes, a nossa gente, que olha por e para o seu produto para que cada dia possamos desfrutar das nossas verduras que para nós são normais...porém para os outros são um manjar dos céus!”
 
Se nota no autoelogio do Chef um apelo a exploração criativa na elaboração de novos pratos. E a exaltação ao sacrifício é em nome de um prazer transcendental. De novo o céu e a terra, o sagrado e o profano justificam o espírito festeiro deste povo ibérico. De fato produtos frescos e de qualidade não garantem uma boa gastronomia, mas este não é o caso de Murcia. Entre os pratos tradicionais estão o “pisto murciano, feito com pimentão vermelho e verde, abobrinha, tomate cebola e berinjela, acompanhado à gosto por carne ou peixe.

Foto:divulgação-Pisto Murciano

O “El Zarangollo”, que é um “revuelto” /mexido de ovo, cebola e abobrinha , com a liberdade de acréscimos dependendo do município. “La ensalada murciana” é uma combinação de terra e mar contendo tomates descascados, azeitonas, ovos duros, cebolas e atum. Faz sucesso no verão! Não dá para esquecer dos “pasteles de carne murcianos” que é uma espécie de empanada de origem árabe feita com massa folhada, linguiça, bacon, carne de gado, jamón, ovo duro, tomate e pimentão verde. Uma bomba saborosa que pelo formato circular lembra muito  a nossa empada.

Foto:divulgação -La ensalada murciana

Foto:divulgação -Pasteles de carne murcianos

De volta ao “bando de la huerta” a jornada festiva começa cedo com uma oferenda de flores a “Virgen de la Fuensanta”. Logo pela tarde vem os desfiles com trajes típicos e carros alegóricos que distribuem produtos da horta para o público. Um bonito resgate das tradições. No entanto como “todo sagrado se profana e todo sólido se dissolve no ar”, a tradição e a religiosidade vão dando passo ao carnaval mundano aonde um mar de gente vestida a caráter  serpenteia entre mesas e cadeiras de bares fixos e improvisados.

A cerveja, o vinho, e as cubatas são sonantes e abundantes! Os olhares desavergonhados se cruzam em flertes sorridentes...e tá pronta a Festa!! “El Bando de la huerta” é no, final das contas, uma mistura de Oktoberfest de Blumenau, carnaval de Laguna e carnaval da Bahia...ou seja o “Bando” não tem pretensão de ascender aos céus. Já os produtos da horta e a gastronomia de Murcia faz tempo que foram sacralizados! 

Gostou da dica? Curta , comente e compartilhe com quem ama histórias da gastronomia.
Em breve teremos novas dicas do nosso amigo e colunista @luter0barbara diretamente da Espanha.




 
Link
Tags »
Leia Também »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://paposabor.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp