23/01/2021 às 19h18min - Atualizada em 23/01/2021 às 19h18min

Gourmetização na gastronomia: o que mudou e como se adaptar?

Diariamente, lemos, vemos e ouvimos que tal comida ou que tal restaurante é gourmet.

Por: Papo Sabor
Foto: Divulgação

Diariamente, lemos, vemos e ouvimos que tal comida ou que tal restaurante é gourmet. Da pastelaria do bairro à barbearia da esquina, parece que tudo tem se gourmetizado. Mas, afinal, o que isso significa?

Com a popularização da gastronomia e o aumento do poder aquisitivo do brasileiro, o mercado de alimentação se tornou ainda mais interessante economicamente.

Hoje, o termo ‘gourmet’ é utilizado para valorizar um determinado prato, na tentativa de venda não apenas de um simples alimento, mas sim de uma experiência gastronômica.

E isso tornou-se uma forte tendência para o setor, pois muitos clientes estão dispostos a pagar um pouco a mais por algo que considerem único e inovador – além do status que muitas vezes lhe é atribuído.

Para um alimento ser considerado gourmet, é preciso ter elementos diferentes do produto tradicional, um ingrediente ou preparação mais refinado, mais nobre ou até mesmo mais raro.

O problema é que, como não poderia deixar de ser, o assunto se tornou bastante controverso e muitos consumidores olham para a gourmetização de determinados alimentos e estabelecimentos com desconfiança.

Polêmicas à parte, o fato é que a onda gourmet se espalhou pelo mundo inteiro, até mesmo em países onde a gastronomia nacional é reconhecida como algo quase sagrado. E no Brasil isso não é diferente. Como todo brasileiro gosta de novidades, a gourmetização ganhou ainda mais repercussão por aqui e ainda é uma forte tendência de mercado.

A origem do termo ‘gourmet’ remete ao século XIX, quando o gastrônomo francês Jean Savarin o utilizou pela primeira vez em seu livro "Fisiologia do Gosto".

À época, o autor empregou a palavra para designar pessoas com paladar apurado, relacionando-a à elegância e refinamento.
Com as estratégias de marketing contemporâneas, a palavra ‘gourmet’ passou a ser utilizada para indicar sofisticação e qualidade, criando uma diferenciação clara entre produtos semelhantes.

A gourmetização segue sendo uma tendência no setor alimentício como um todo. De produtos industrializados a pratos servidos em restaurantes, ascensão relativamente recente do poder de compra do brasileiro faz com que haja uma demanda latente por produtos gourmet.

Nesse sentido, é importante também diferenciar produtos e alimentos ‘gourmet’ e ‘premium’, muitas vezes tratados como sinônimos.
O termo ‘premium’ é designado a produtos e serviços de alto valor agregado com diferenciais de inovação. Além de um preço maior, são consideradas características como a raridade, a tradição de uma marca e a experiência que ela vai trazer para quem consumir.

Já o termo ‘gourmet’ se refere à transformação de alimentos básicos, como comidas de rua (hambúrgueres, cachorro-quente etc.), com novos componentes e apresentações. Aqui, inclusive fatores externos ao alimento são levados em consideração, como a ambientação do estabelecimento.

Estabelecer essa diferenciação é importante por conta de mal-entendidos comuns em relação a produtos e locais gourmet. Afinal, há um número considerável de consumidores que acreditam se tratar apenas de uma estratégia para cobrar um valor mais elevado pelo mesmo produto – fato, infelizmente, confirmado por marcas pouco éticas.

Por isso, ao optar por trabalhar no segmento de gastronomia gourmet, é preciso deixar claro ao cliente o valor agregado que existe sobre o produto e serviço que está sendo consumido, oferecendo a ele uma experiência verdadeiramente diferenciada.

Gostou de nosso post, compartilhe e marque nossas redes sociais @paposaborexperience
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://paposabor.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp