24/05/2021 às 10h30min - Atualizada em 24/05/2021 às 10h30min

Você tem sede de quê? - Episódio 1

​Um dos expoentes da coquetelaria e mixologia brasileira, proprietário da Gipsy Cocktails, do Vitrus Pop-Up e do canal do Youtube atrás do Balcão

Papo Sabor - Papo Sabor
Tom Oliveira
Foto: divulgação


Coquetelaria sempre foi uma forma de arte e todo coquetel tem uma boa história por trás que remete a uma lembrança, um contexto ou a uma imagem que está no subconsciente.

Desenvolver uma receita nos leva a lugares pelos quais já visitamos em algum momento, seja através de viagens, livros, filmes ou histórias.

A Gipsy Cocktails é uma agência de consultoria para bares e restaurantes e além disso, desenvolve projetos para marcas de bebidas.

O Vitrus Pop-Up é um bar itinerante responsável por elaborar coquetéis engarrafados com e sem álcool, e também promover eventos gastronômicos.

O canal do Youtube Atrás do Balcão nasceu com o objetivo de mostrar a realidade diária do profissional de bar através de viagens registrando a rotina dos bares e bartenders de cada região.


 Foto:divulgação

Tom Oliveira foi mixologista da Jägermeister ( licor alemão), que atua no Brasil e também da cachaça Antonieta, na cidade de Florianópolis.

Durante o período de 2018 a 2019 trabalhou como mixologista na Casa Quatro Oito, hotel Boutique também na cidade de Florianópolis, onde foi responsável pelo desenvolvimento da carta de coquetéis, treinamento de equipe e gestão de operação de bar.

Atualmente participa do projeto Biomas em parceria com o núcleo de estudos do IFSC Instituto Federal de Santa Catarina que tem como objetivo mapear os insumos regionais de pequenos produtores e aplicá-los na coquetelaria e na gastronomia, incentivando assim uma cadeia de consumo local e consciente.

Idealizou os cursos Coquetelaria com Cachaça que desmistifica a cachaça como bebida marginalizada pontuando seus valores na coquetelaria e gastronomia, o Bebe Comigo narra a história da coquetelaria através da linha do tempo dos coquetéis, e o Do Mato ao Copo mapeia ingredientes nacionais para aplicação na coquetelaria.

 Foto:divulgação


O mixologista conquistou a etapa brasileira do campeonato da marca Bacardi, o Legacy, em 2019 e esteve entre os finalistas na etapa mundial que aconteceu em Amsterdã.

Também participou de diversos campeonatos nacionais dentre eles o Most Imaginative Bartender da marca Bombay Sapphire onde chegou em duas finais. Como consultor, conquistou o prêmio de melhor carta de coquetéis em São Paulo, sendo indicado entre os finalistas para o prêmio de melhor bartender do ano.

Com este histórico profundamente ligado à evolução da coquetelaria brasileira, Tom se consolida como referência em inovação e qualidade dentro do cenário atual do mercado de bebidas. Com a agência Gipsy Cocktails tem como propósito oferecer um serviço de consultoria especializada, atuando desde engenharia, fluxo de caixa a construção da marca do cliente.

 Foto:divulgação

Alguns dos estabelecimentos em que Tom prestou serviço: Venice Burguer (SP), Void (SP), Lions (SP), Volt (SP), Alberta #3 (SP), Brown Sugar (SP), Rock & Breja (SP), Home SP (SP), Kod Steakhouse (SP), Cadillac Burguer (SP), Empório Local (SP), Empório Capella Café (SC), Setor 1 (SC), Casa Quatro Oito (SC), Coza  Linda (SC), Trofi Gastrobar (SC), Arquipélago Sushi Lounge (SC) e Botequim Guanabara (SC).

Reunindo estas qualidades o trabalho de Tom se configura como ferramenta certa para o posicionamento de bares, restaurantes e marcas no mercado brasileiro.

Considerada como " a cozinha líquida", a coquetelaria mistura promovendo assim misturas inusitadas. Não atoa o profissional de bar muitas vezes é chamado de alquimista pela suas habilidades com os líquidos, dessa forma agradando paladares distintos e proporcionando experiências únicas.

Perguntamos ao Tom :

Se o 
 Gin será sendo a bebida da vez?  Vermute e o Rum agora chegam pra ficar?

Tom Oliveira: Acredito que ainda estamos longe de tirar o gin como principal protagonista do cenário de coquetelaria e consumo de drinques regionais. O trabalho que foi feito lá atrás nos anos 2000 encima da popularidade do gin foi muito eficaz, tamanho é o lançamento de um novo gin brasileiro a cada dia. Isso sem falar na infinidade de rótulos importados que tem desembarcado por aqui.

Mesmo assim, acredito que a procura por outras bebidas tem aumentado gradativamente. Bebidas como uísques, rum, vodka, licores, amaros, vermutes e até mesmo cachaças de qualidade tem ganhado espaço nas prateleiras de bares do país, sendo utilizadas em drinques ou consumidas em doses.

Um ponto crucial que valida esse pensamento é que hoje estamos acompanhando em tempo real o padrão de consumo dos outros países para então adotar aqui. Fatores como internet, redes sociais e network tem impactado bastante esse movimento, fazendo com que aquele deelay de informação que tinhamos no passado, até mesmo com o gin (que estourou globalmente no começo dos anos 2000 e chegou por aqui à partir de 2010), seja mais fácil de contornar.

Então sim, vejo novas possibilidades no horizonte. Mas o gin ainda será unânime por mais um ou dois anos, no máximo. Apostaria nas bebidas de baixa graduação alcoólica, pois quando olhamos para o padrão de consumo global atualmente, drinques de baixa graduação, estilo low alcohol tem ganhado bastante espaço em um momento onde beber menos, porém melhor parece ser o objeto de desejo."


Tom Oliveira Mixologista
@gipsycocktails

Gostou de nosso post? Leia mais...
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://paposabor.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp