MENU

18/07/2021 às 22h56min - Atualizada em 18/07/2021 às 22h56min

Dicas do TOM

Drinks e Coquetéis: Experiência de Bar em Casa

Tom Oliveira - Papo Sabor
Mybest-Brasil
Foto: divulgação


Bartender e Consultor de Bar

Tom Oliveira é bartender desde 2005. Como consultor de bar, seu trabalho consiste em desenvolver soluções para bares, restaurantes e marcas, por meio de treinamentos e seminários. Natural da cidade de São Paulo, atualmente Tom reside em Florianópolis, onde mantém a empresa Gipsy Cocktails que presta consultorias para bares, restaurantes e marcas de bebidas, além de promover eventos gastronômicos focados na experiência do cliente. Recentemente aderiu à produção de cursos online e demais infoprodutos, sempre voltados para a coquetelaria.

Tão bom quanto beber um drink naquele seu bar preferido é poder preparar seus próprios drinks em casa. É muito comum vermos pessoas se aventurando em sua própria cozinha, estudando, testando e desenvolvendo pratos incríveis. E por que não se aventurar em drinks também?

Para que você possa adentrar nesse universo etílico cheio de aromas e sabores, fiz uma lista de produtos que podem ajudá-lo. Nesta lista recomendo uma literatura técnica e ao mesmo tempo divertida e leve sobre o assunto. Indico também algumas bebidas, tradicionalmente chamadas de "destilados espirituosos", como cachaça, gin, whisky e rum

E aí, vamos fazer uns drinks em casa?



Leitura Acessível e Descomplicada

Mr. Lyan é um dos principais bartenders da cena mundial, ganhador de inúmeros prêmios da categoria. Neste livro, Lyan traz dicas incríveis para o desenvolvimento de drinks em casa, sem usar uma comunicação técnica ou formal.

De maneira leve e divertida, sua literatura conversa diretamente com o leitor, despertando assim o interesse por ingredientes que temos em casa e por bebidas destiladas acessíveis a todos. O livro se divide em capítulos, como ocasiões de consumo, estações do ano, momentos de lazer, fim de tarde, happy hour, entre outros.

Eu consulto o meu exemplar sempre que vou desenvolver um evento de harmonização entre coquetelaria e gastronomia, nas consultorias de bar e em treinamentos sobre sabores e aromas.

Foto:divulgação

Para começar a falar sobre as bebidas, escolhi um produto bem brasileiro. Atualmente, a Cachaça Antonieta é minha favorita. Produzida de maneira artesanal, com total controle sobre a extração da cana, têm notas aromáticas que realçam as características de frutas, sucos ou xaropes de diferentes tipos.

Na minha experiência de bar, tenho utilizado a Cachaça Antonieta III Pura para fazer desde a tradicional Caipirinha (de limão), a drinks mais frutados, como uma variação de Pina Colada, substituindo a base original de rum pela cachaça. Isso me traz uma opção mais leve, saborosa e refrescante.

Também recomendo essa cachaça para coquetéis como o Rabo de Galo, que consiste em uma parte de cachaça e outra de vermute ou aperitivo de ervas (ex: Cynar). O frescor de cana da cachaça contrasta muito bem com a complexidade das ervas dos vermutes e aperitivos.

Foto: divulgação

Tradição e personalidade

O Johnnie Walker Black Label é, com certeza, um dos whiskys mais conhecidos no mundo. Diferente de seus irmãos da família Johnnie Walker, o Black Label traz uma nota característica de turfa, termo técnico para defumado, em virtude da água e solo escocês.

Pode ser utilizado em drinks mais encorpados, para dias frios ou que acompanhem refeições mais opulentas. Eu utilizo com frequência em dois coquetéis. O Rob Roy (variação do Manhattan com whisky escocês no lugar do bourbon americano), e o Penicillin (coquetel contemporâneo nascido em um tradicional bar de Nova York).

Fica muito interessante também no estilo highball, em copo longo com gelo. Para isso, utiliza-se apenas ele e um componente gasoso, podendo ser água com gás, água tônica ou club soda. Eu recomendo usar ginger ale para evidenciar as notas defumadas do Black Label.




Notas Cítricas e Sutileza no Álcool

E como não recomendar um gim (ou gin)? O Ten apresenta notas mais cítricas que seu tradicional irmão Tanqueray London Dry. Essa característica faz dele uma ótima escolha para estilos de Gin Tônica com tônicas premium ou bebidas gasosas importadas.
 
Esse gin compõe muito bem a estrutura do clássico Dry Martini, mantendo um equilíbrio entre gin e vermute, com um toque levemente cítrico. Eu ainda gosto de espremer uma casca de limão siciliano sobre o líquido para que os óleos essenciais reforcem ainda mais essa percepção.

Gosto do meu Dry Martini bem perfumado e com textura aveludada, sem aquela potência agressiva de um gin tradicional. O Gin Tanqueray Ten é da categoria premium, recomendado para amantes da bebida que querem dar um passo a mais nessa odisseia etílica. Para alguns clássicos, como o Dry Martini, realmente faz muita diferença.

Foto:divulgação


Longevidade e Versatilidade

O Rum Bacardi 8 Anos é um estilo de rum que apresenta boa versatilidade na construção de drinks e coquetéis, pois transita entre inúmeros aromas e sabores. Pode compor desde uma tradicional Cuba Libre a uma variação de clássicos como Old Fashioned e Negroni.

Em 2019, tive a oportunidade de participar do campeonato mundial da Bacardi, o Bacardi Legacy. Fui campeão da etapa nacional e disputei a etapa global, em Amsterdam. Mesmo sem trazer a vitória para o Brasil, pude viver uma grande experiência cultural e aprender ainda mais sobre esse incrível produto.

O Bacardi 8 Anos está sempre presente em minhas receitas, treinamentos e consultorias, assim como na minha geladeira, para ser apreciado com apenas uma pedra grande de gelo. Lançado a princípio para consumo caseiro da Família Bacardi e amigos próximos, o resultado foi tão surpreendente que resolveram comercializar o produto mundo afora.


Gostou deste post? Compartilhe com seus amigos e Leia também...







 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://paposabor.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp