30/11/2021 às 15h56min - Atualizada em 30/11/2021 às 15h56min

​Luiz Zaga em defesa da gastronomia e do regionalismo.

Comandando casas de sucesso, projetos de consultoria, e expedições pelo País, o Chef segue valorizando produtos e a gastronomia regional.

Claudio Carada - Papo Sabor
Foto: Divulgação
Luiz é natural de Teresina no Piauí , por lá disputou o prêmio Dólmã onde foi o representante de Santa Catarina  neste evento de premiação nacional. Na época embaixadores do evento escolheram o Chef  pelo seu envolvimento e paixão pela gastronomia regional.

Foto: Divulgação

DESBRAVANDO A GASTRONOMIA REGIONAL  


Com formação pela Furb optou por seguir esta carreira, trabalhando em grandes restaurantes de Blumenau e Gaspar, a exemplo de Fazenda Park Hotel e Zizi Bistrô, além de importantes restaurantes pelo estado. O chef também lecionou  gastronomia durante cinco anos na Furb. Atualmente, Zaga desenvolve trabalhos na área de consultoria e de abertura de novas empresas do segmento gastronômico.

Ele é fundador de um grupo de pesquisas de novas técnicas de culinária e ingredientes. Entre seus trabalhos  de consultoria está o  Hotel Vila do Vale, o primeiro hotel boutique do Vale Europeu.

O Chef  Luiz Zaga bateu um papo incrível com o Papo Sabor, respondeu algumas perguntas e falou sobre a trajetória desde a chegada a Blumenau.

ENTREVISTA COM O CHEF  ZAGA

PS: Onde e quando começou a sua trajetória em Blumenau?
Zaga: Minha tragetória iniciou no curso de Gastronomia da FURB em 2003 por um hobbie, porém quando me dei conta já estava em um dos maiores restaurantes tradicionais da cidade na época.

PS: Para você, o que é comida boa e sustentável?
Zaga: É a comida colhida dentro da sua estação, com menor impacto à natureza, e que possa valorizar a agricultura familiar.Comida boa, limpa e justa.

PS: Como surgiu a ideia da Glamp cogumelos ? E qual o conceito desta marca?
Zaga: A Glampo Cogumelos surgiu no inverno de 2019, em parceria com meu amigo e sócio Fred Ziegler onde fazíamos constantes caçadas à cogumelos com intuito de estudar as espécies, e daí então fomos nos aprofundando e percebendo o espaço comercial para este ingrediente tão nobre.

PS: O que você planeja para o futuro na carreira e projetos na gastronomia?
Zaga: Pretendo reabrir a Escola de Gastronomia, trazendo cursos novos para os amantes das panelas. Referente a GLAMP pretendo ampliar a linha de produtos utilizando os cogumelos da mata atlântica. outro sonho seria explorar os demais biomas do nosso país, com expedições que valorizem a cultura local e conectem pessoas, lugares e ingredientes.

PS: Quando não está trabalhando, quais restaurantes gosta de frequentar?
Zaga: A casa do Porco(SP) Restaurante Origem (BA) Dan Izakaya(Blumenau) Bar da OMA(Blumenau) Porthus Padaria Artesanal(Blumenau), Blums Kaffee(Blumenau) Ostradamos (Florianópolis)

PS: Como é o chef  Zaga na cozinha dos eventos e restaurantes?
Zaga: Exigente, minimalista, organizado e focado.

PS: O que você mais aprecia na culinária brasileira?
Zaga: A diversidade de ingredientes, a multiculturalidade de cada bioma.

PS: Quais chefs te servem de inspiração e por quê?
Zaga: Jaime Barcellos, do Restaurante Ostradamos em Florianópolis, o admiro pela grande generosidade e representatividade que ele dá a ostra catarinense.

PS: Como foi participar de uma premiação com foco na gastronomia nacional?
Zaga: O Prêmio Dólmã Me senti honrado pela indicação em um prêmio relevante como este, porém por questões de saúde tive que abrir mão do prêmio.

PS: No contexto atual, como você avalia o atual cenário gastronômico em Santa Catarina?
Zaga: Percebo uma grande evolução advinda da pandemia, onde muitos empresários precisaram se reinventar, repensar processos, criar novos nichos e produtos.

PS: Dê um conselho para os nossos seguidores, leitores e apaixonados pela boa mesa .
Zaga:  Abra a sua mente, prove coisas diferentes, conheça novas culturas, viaje para perto e para longe. prestigie feiras locais, converse com pessoas e absorva toda a riqueza dos alimentos, sobretudo não tenha medo de ousar novas receitas, e de errar, pois muitas receitas incríveis nasceram a partir de um "erro".

Pitadas do ZAGA

PS: O que não pode faltar na sua cozinha?
Zaga: Coentro
Uma música pra ouvir cozinhando?
Zaga: Obrigado, Leonardo Gonçalves                                                                     
PS: Uma receita de família  marcante para você?
Zaga: Bode com leite de côco, de minha mãe, Dona Maria.
PS: Livro predileto?
Zaga: Bíblia Sagrada
PS: Para você, quais são os sabores de Blumenau?
Zaga: Butiá, chucrute, sagú, marreco.

Uma  dica de receita para o portal e nossos leitores.

Foto: Divulgação

Crepe Quietcolor com Gruyère

Ingredientes para a massa:
  • 100g de farinha de trigo
  • 2 ovos
  • ¼ de litro de leite
  • 50g de manteiga derretida
  • 50g de Lactarius Quietcolor
  • Sal
Modo de Preparo
Bater ovos, leite, sal e farinha e o cogumelo no liquidificador.
Acrescentar a manteiga derretida e peneire
Deixe a massa descansar por 25 minutos
 
Ingredientes molho gruyère
  • 100ml de creme de leite fresco
  • 200g de queijo gruyère
  • Sal, pimenta moída na hora a gosto
  • Ferver o creme de leite e aos poucos colocar os pedacinhos de queijo
  • Corrija o sal caso necessário
Ingredientes para o recheio:
  • 500g de Lactarius Quietcolor
  • 50g de manteiga
  • Sal
  • Pimenta
Modo de preparo:

Derreta a manteiga numa frigideira até ficar levemente marrom, em seguida junte os Lactarius picados e refogue por 5 minutos corrija o sal e finalize com pimenta do reino.

Montagem:

Recheie os crepes com o cogumelo, faca pequenos envelopes e cubra com o molho de queijo, leve ao forno para gratinar com um pouco de parmesão por cima caso queira.

Bom apetite!!


 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://paposabor.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp