04/01/2022 às 18h46min - Atualizada em 04/01/2022 às 18h46min

Santa Catarina ganha Rota Turística Vinhos de Altitude.

Roteiro turístico instituído pelo Governo Estadual irá valorizar ainda mais a Serra e o Meio-Oeste. Saiba mais.

- Papo Sabor
Sebrae
Crédito foto: Vinicola Thera
A lei estadual 18.180/2021, publicada no início do mês de agosto deste ano, estabelece a Rota Turística Vinhos de Altitude de Santa Catarina que abrange as vinícolas da Serra e do Meio-Oeste catarinense. Essa iniciativa é fundamental para o desenvolvimento do enoturismo e da gastronomia no estado, independentemente da época do ano, principalmente depois que a cadeia produtiva dos vinhos de altitude conquistaram o selo de Indicação Geográfica (IG).

A rota turística determinada pela lei abrange 31 municípios catarinenses. São eles: Água Doce, Anitápolis, Arroio Trinta, Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, Brunópolis, Caçador, Campo Belo do Sul, Campos Novos, Capão Alto, Cerro Negro, Curitibanos, Fraiburgo, Frei Rogério, Ibiam, Iomerê, Lages, Macieira, Painel, Pinheiro Preto, Rancho Queimado, Rio das Antas, Salto Veloso, São Joaquim, São José do Cerrito, Tangará, Treze Tílias, Urubici, Urupema, Vargem Bonita e Videira.

O estabelecimento da Rota Turística Vinhos de Altitude tem como objetivo fomentar as atividades e a movimentação de turistas na região o ano todo, por meio de ações que promovam e divulguem informações sobre os produtores, os vinhos produzidos e os pontos turísticos das cidades que compõem a Rota.

Vinhos de altitude em Santa Catarina e Indicação Geográfica (IG)

A cadeia produtiva de vinhos finos de altitude está consolidada em Santa Catarina, a ponto de conquistar o selo de Indicação Geográfica (IG) em julho de 2021. A certificação, concedida pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), atesta que um produto só tem aquelas características porque é produzido de determinada forma ou tem notoriedade na produção.

A área geográfica da IG Santa Catarina abrange 29 municípios que correspondem a 20% do território do estado catarinense. O Vale do Contestado e a Serra são as duas grandes regiões produtoras. Os produtos reconhecidos são os de vinho fino, vinho nobre, vinho licoroso, espumante natural, vinho moscatel espumante e brandy.
A produção de vinhos de altitude

Segundo dados mais recentes da Epagri, em 2019 Santa Catarina possuía 527 vinhedos de altitude, que somavam 269,3 hectares. Dessa área, 81% correspondia à soma das áreas dos vinhedos dos municípios de:
 
São Joaquim (51,7%);
Água Doce (12%);
Bom Retiro (11,4%);
Urupema (6,9%).
 
 
Nos primeiros 10 anos da atividade vitivinícola de altitude, foram plantados 494 vinhedos em 52 propriedades, totalizando 304,6 hectares. As propriedades localizadas na região de altitude de Santa Catarina possuem, em média, 6,6 hectares de vinhedo.
As maiores áreas individuais de vinhedos por propriedade estão em Água Doce (32,3 ha), seguido de Tangará (11,1 ha) e Campo Belo do Sul (9 ha). São Joaquim é o município com maior número de propriedades (53,7%), com uma área média de 6,3 hectares de vinhedos por propriedade. Veja aqui mais informações sobre os vinhos de altitude de Santa Catarina.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://paposabor.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Fale conosco pelo Whatsapp